Perdendo a virgindade com a titia

meu nome é edu, tenho 23 anos, sou formado em administração de empresas, moro em salvador/ba. este é meu primeiro conto, à partir deste irei relatar as transas mais sensacionais que eu tive. estes seram contos de acontecimentos verídicos, não vou ser hipócrita de dizer que fui à rua vi uma mulher gostosa, levei-a pro motel e comi o cú dela. isso não existe e a maioria dos contos, na minha opinião, são histórias inventadas, por isso, senti a vontade de relatar algo que realmente aconteceu.
neste primeiro conto, irei relatar como perdi a virgindade com minha tia, a quem irei chamar de laís (fictício), na época eu tinha 13 anos, na época eu era um pouco gordinho, loiro, muito, mas muito tímido, devido a isso não conseguia arrumar garotas. minha tia era uma morenona, magrinha, seios fartos, coxas grossas e bumbum grande e durinho, do jeito que eu gosto.
nós estávamos passando o carnaval em stela mares, na casa de meu tio, irmão de tia laís, como ele trabalhava no pólo petroquímico, passava o dia todo fora e só voltava tarde da noite, eu sempre gostei de passar minhas férias lá e minha tia laís desta vez foi porque um garoto de 13 anos não poderia ficar sozinho em casa o dia todo, foi pra tomar conta de mim.
um certo dia fomos tomar banho de piscina, era um condomínio fechado, mas a piscina estava deserta, pois como era época de férias, muitas famílias tinham viajado e o condomínio estava às desertas. minha tia, apesar do corpão que tinha, usava um maiô preto, que escondia um pouco a beleza do seu corpo. começamos a brincar na piscina, enquanto um ficava de pernas abertas o outro mergulhava e passava por baixo, eu adorava porque quando ela passava por baixo eu via seu rabão passando perto do meu pau, quando era minha vez eu finjia ter dificuldades de passar e colocava as mãos em suas pernas e passava roçando meu corpo em sua boceta. meu pau já estava pra explodir dentro do short (não uso sunga), tava tão duro que quando ela saiu dei o pretexto de ficar mais um pouco nadando pra vê se diminuia o volume.
quando eu cheguei em casa, tia laís estava indo tomar banho, eu já tinha tomado banho com ela algumas vezes, mas quando eu tinha uns 6 ou 7 anos, ela perguntou se eu não queria tomar banho com ela, fiquei vermelho na hora, ela percebeu e disse pra que eu deixasse de besteira porque ela era minha tia e já tinha me dado muito banho quando eu era pequeno. assim que entramos no banheiro ela tirou o maiô e entrou no chuveiro, tirei meu short devagar, pois o nervosismo era evidente, nunca tinha visto uma mulher nua em minha frente desde quando tinha começado a me interessar pelas coisas boas da vida. ela estava no chuveiro de costas pra mim, fiquei olhando pra’quela bunda gostosa e meu pau começou a ficar duro, quando ela se virou e viu meu estado disse: – que é isso menino, nunca viu mulher nua não é?, e eu respondi que tinha visto em revistas e filmes e ela me perguntou se ao vivo era melhor e eu disse que sim. até aquele momento não passava por minha cabeça que minha virgindade iria pro espaço àquela hora. ela então disparou: – na sua idade tem muito menino que não é mais virgem sabia?, e eu disse que sabia pois muitos colegas meus já tinham me dito que não eram, ela então pegou no meu pau e disse: – deixa ver se na sua idade o pau fica no ponto que eu gosto. nesta hora ele parecia mais uma rocha de tão duro e eu quase tremia de nervoso. ela então começou a me punhetar e dizer que o pau estava do jeito que ela gostava, eu não sabia o que fazer, então ela disse o que não imaginava ouvir: – como sou sua tia, vou lhe dar uns conselhos e te ensinar umas coisinhas pra que você não faça feio na frente de uma garota. quando eu ameacei perguntar o que ela se abaixou e começou a chupar meu pau, deve ter chupado durante uns cinco minutos mais ou menos, ela até achou estranho eu ainda não ter gozado, por ser minha primeira experiência e eu estar afobado, mas por mais que eu goste de ser chupado, não consigo gozar com sexo oral. tia laís então desligou o chuveiro, sentou no vaso e disse que iria me ensinar como chupar uma mulher, comecei chupando do jeito que via nos filmes, só que muito afobado, ela então disse para ir com mais calma, passar a língua como se a boceta dela fosse um gostoso doce, que chupasse com calma e vontade, sem pressa. passei muito tempo chupando aquela bucetinha que até perdi a noção do tempo, ela disse que o homem só deve parar de chupar uma buceta quando a mulher já tivesse gozado, e estivesse parecesndo uma louca pedindo pra que o homem metesse logo a pica. quando comecei a pegar o jeito os gemidas dela passaram a ser gritos de tesão, e ela dizia: – assim, chupa, desse jeito, não pára, vou gozar, chupa… ela gozou em minha boca e eu senti aquele gostinho delicioso de buceta em meus lábios. ela então pediu que eu sentasse no vaso e abrisse as pernas, ela ficou de costas pra mim e pediu que eu pegasse e apertasse sua bunda, disse que mulher gostava de ser apalpada, apertada, eu peguei naquele rabo gostoso e senti a maciez de sua pele, eu pegava, apertava, beijava, doido pra meter meu pau nela, disse que meu pau tava doendo, que tava muito duro, ela disse então que tava na hora de eu sentir a sensação mais gostosa que já tive na vida, ainda de costas ela encaixou a boceta em meu pau, nossa, foi uma sensação inigualável, meu pau entrou deslizando, ela então começou a subir e descer em meu pau, colocou minhas mãos em seus seios e pediu pra que apertasse de leve os bicos, ela gemia e subia e descia cada vez mais rápido, com isso veio uma vontade incontrolável de gozar, quando à avisei ela se levantou, pois estavamos sem camisinha, colocou meu pau em sua boca na hora que eu ia gozar, gozei como nunca havia gozado antes, foi a melhor sensação que tive. depois continuamos fudendo até o final de minhas férias, minha tia me ensinou muita coisa, depois ela casou porque engravidou, mas nós transamos uma última vez, mas isso é outra história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *