Flertando com minha sogra

Minha mulher foi trabalhar, e minha sogra que estava nos visitando continuou deitada, ela é uma mulata maravilhosa com seus 50 anos e corpo voluptuoso, veio realizar um tratamento estético que aconteceria após o expediente de minha esposa que iria acompanha-la, então tinha o dia todo com ela.
Eu usava uma pequena bermuda de seda e só, ficava bem marcada nos momentos de euforia. Quando minha sogra desperta e sai do quarto, vejo que está com um conjuntinho de pijama cinza que realça sua bela bunda e marca seus peitos não tão volumosos mas bem desenhados pelo que dava pra perceber, sob o fino tecido, realçando seus mamilos.


Eu me colocara sentado no sofá de forma que a ponta do meu pau ficava amostra pela perna da bermudinha, como que sem querer, pra ver se ela falava alguma coisa. Saiu do banheiro e se sentou à mesa em minha frente e começamos a conversar, ela mais tímida que o habitual. Ela se levanta e volta ao quarto de hospedes, vou logo atrás com roupas para estender no varal que fica nesse cômodo, em pé meu pau fica evidente mesmo estando meia bomba, ele empurra o short de seda e balança enquanto conversamos, e não tem como não ser notado.
Em outro momento na sala, quando minha sogra vai se levantar eu me ponho a sua frente e ela num misto de surpresa e nervosismo, com um sorriso desajeitado fala: ”Para de bobeira menino”, eu retruco: ”É só um abraço”, ela para e pensa e me abraça, durou cerca de 3 segundos, mas parecia eterno, sentir seus peitinhos através do pijama e o meu peito sem camisa, e roçar meu pau em sua coxa e acariciar de leve sua bunda passando a mão na parte mais superior da calcinha, que quando vê pra onde está indo, no findar desse curto e maravilhoso espaço de tempo ela me empurra o suficiente pra se desvencilhar do ‘abraço’ e vai para o quarto.
Continuo sentado no sofá e quando ela volta a sentar de frente pra mim na mesa, peço licença e ajeito minha pica de forma nada discreta e ela se fosse branquinha estaria todo vermelha de vergonha com aquele sorrisinho e prosseguimos conversando.
No fim da tarde quando ela começa a se arrumar para ir encontrar sua filha/minha esposa para ir ao centro de estética eu fico em volta e ela incomodada, quando vai ao banheiro se maquiar a abraço por trás, não parece gostar, passo a mão em sua barriga e ela a retira rapidamente, me posiciono atrás dela e começo a roçar minha barba grande em suas costas e ombros enquanto se maquia.
No outro dia vou acompanha-lá até a rodoviária e sentado esperando o seu ônibus faço carícias em seus ombros suas pernas e braço, de forma discreta e carinhosa, quando vai embarcar lhe dou um beijo no rosto e ela sorri e pede desculpas pelo incomodo que poderia ter gerado, no final a sensação que fica é que ela gostou, mas se segurava pois é muito católica, por isso ficou irritada no banheiro. Daqui a 45 dias ela volta pra outra sessão do tratamento estético e vou atiça-lá um pouco mais, ai conto pra vocês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *