Engenheira comida pelos peões na obra

Na Espanha tomando um cafezinho num Bar peguei um rapazinho refugiado. Ele sem banho mas com uma rola grossa que me encheu a xota de gozo.

Em Portugal numa praça mirei num homem de gestos europeu e conversamos e fomos num lugar discreto e ele me comeu na xota e no cuzinho. Delícia.

Sou engenheira de 42 anos morena, tipo gostosa, solteira e com tara em homens rudes. Tenho um caso com dois peões da Empresa que trabalho.

Voltei das férias com a xota em brasa doida para dar a eles.

Fui fazer visita a obra e os vi. Pedi para me acompanharem até o 8° andar. Subimos pelo elevador de cargas.

Chegando, entramos em um dos aptos.
Colei no mulato e o beijei com ímpeto. Um homem de 25 anos másculo, alto e com cheiro de suor de exercicio que me enlouquece. Me aninho nos seus braços e ele abre minha blusa e me livra do soutean.

Imediatamente chupa meus peitões… todo durinho doidos por chupadas… ele chupa um e aperta o outro no bico… vai mordicando e eu delirando… chupa forte… dói e gozo.

O negro de 28 anos bem alto, másculo, mais forte, olhar que fumina, cabeça raspada e cheirando a suor forte de trabalho.

Ele chega por trás e eu me viro, as mãos calejadas acaricia minhas mamas que tem efeito de desejo.
Me chupa com a bocara de lábios grossos urru…
chupa… lambe… morde os bicos… ficam vermelhos ardidos… não solta … mama com fúria e gozo.

Se afastam e tiram minha saia e a calcinha. Estou nua arrepiada nas mãos desses dois “deuses de ébano”.
Se acocoram e em pé me coloco entre os dois de pernas abertas. Chupam minha xota com gosto seus lábios as vezes se encontram e fazem pressão dupla na xota…gozo e cada um vai para um lugar.

Um fica na xota e o outro vai para o cu e eu me escancaro e chupam… lambem…mordica e urro gozando.

Me abaixo e eles vestidos, tiram as rolas duras, latejantes, apontadas para minha boca, uma amarronzada e outra preta azulada, gosto, são homens viris e novos, logo estão acessos.

Chupo chupo um e outro… abocanhou abocanho um e outro… lambo lambo… querem gozar.

O mulato se deita me cima de pilhas de saco de cimento, me coloca em cima do seu corpo e enfia a rola… cavalgo a tora da rola preenche minha xana e … sinto um prazer imenso…dá estocadas fortes…urro e gozo…ele continua.

O negro vem e se acomoda nas minhas costas e arrebito a bundona e o cuzão e…. introduz a pica no cu… recinto… os hormônios estão alterados…ele cadência e o mulato também… cavalgamos eu com duas picas me comendo e arrebentando… urro… suo… gemo… gozo… continuam… o mulato goza junto comigo … a cavalgada continua a torona no cu… e …vai… vai e eu gozo e ele goza depois.

Tiro da pasta lenços de papéis e me limpo. Me visto e descemos e alguns peões nos olham, com leve sorrisos.

Pego a assinatura deles e vou embora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *